• Mão de obra mais cara puxa custo da construção no IGP-10, segundo FGV

    Reajustes nos salários da mão de obra de trabalhadores da construção puxaram a aceleração no Índice Nacional de Custo da Construção (INCC-10) no IGP-10 de junho, informou nesta sexta-feira a Fundação Getúlio Vargas (FGV). A taxa do INCC-10 passou de 0,86% em maio para 1,67% em junho.

    O índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços subiu 0,27% este mês, após uma alta de 0,49% em maio. Já o índice que representa o custo da Mão de Obra acelerou para 3,03% em junho, após uma alta de 1,23% no mês passado.

    Ficaram mais caros em junho os gastos com ajudante especializado (2,92%), servente (2,81%), carpinteiro de forma e telhado (3,14%), pedreiro (2,93%) e engenheiro (3,28%). Na direção oposta recuaram os preços de vergalhões e arames de aço carbono (-0,28%), perna 3